A Nossa Esperança

Imagine que a religião é muito mais do que uma série de rituais a cumprir para um Deus que parece mais imaginário do que real.

De acordo com a Bíblia e a experiência de milhões de pessoas pelo mundo fora, a religião é um encontro com Deus através de Jesus Cristo, não uma teoria ou série de deveres religiosos, mas uma realidade experimentada:

"Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo." (Filipenses 3:8)

"Deus (...) mesmo resplandece em nosso coração para iluminação da glória de Deus, na face de Cristo (2 Coríntios 4:6)

Imagine que a verdadeira religião transforma as pessoas em homens e mulheres cada vez mais compassivas e justas em vez de serem as mesmas pessoas, embora mais "religiosas".

De acordo com a Bíblia, uma pessoa transformada por Deus é alguém que começa a demonstrar as qualidades de Deus em si próprio:

"O fruto do Espírito é: amor, alegria, paz longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio." (Gálatas 5:22-23)

Imagine que, sem esta transformação por Deus, a pessoa também não tem a mínima hipótese de felicidade depois da morte.

De acordo com a Bíblia, é preciso uma mudança profunda no nosso ser para sermos recebidos por Deus após a morte. Toda a vaga esperança em "algo melhor" é inútil sem esta mudança.

"Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." (João 3:3)

Quem crê no Filho [Jesus Cristo] tem a vida eterna; o que, todavia se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus." (João 3:36)

Imagine que a única forma de atingir esta transformação é através do reconhecimento de que, perante Deus, estamos sem hipóteses de nos melhorarmos a nós próprios.

De acordo com a Bíblia, ninguém é justo perante Deus, nem relativamente justo. Aos nossos olhos há pessoas "boas" e "más", mas aos olhos de Deus só há más.

"Não há um justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram; à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer." (Romanos 3:10-12)

Imagine que tentar fazer bem aos outros ou ser religioso é insuficiente para sermos perdoados por Deus.

O preço que pagamos por seguir os nossos próprios caminhos e não os de Deus não é a penitência nem tentativas de melhorar ou ainda fazendo atos de misericórdia. Não há nada que possamos fazer. A pena é a morte e só a morte pode pagar a nossa maldade. Esta morte não é apenas a morte física, como também a separação de Deus para sempre.

"o salário do pecado é a morte." (Romanos 6:23)

"Não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo." (Tito 3:5)

Imagine que a história de Jesus Cristo não é apenas um exemplo de amor a seguir, mas o único caminho para podermos ser reconciliados com Deus.

Jesus rejeitou a ideia de haver vários caminhos que levam a Deus. O apóstolo Pedro veio dizer a mesma coisa. Só podemos ser salvos porque quando Cristo morreu, levou sobre si mesmo a culpa de todos os que viriam a arrepender-se e crer na sua morte e ressurreição pelo pecado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." (João 14:6)

"Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16

"Ele foi trespassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." (Isaías 53:5)

Imagine que a submissão a Deus desta forma, em vez de constranger e limitar a nossa felicidade, abre horizontes na nossa vida nunca antes imaginados.

Muitos imaginam que humilhar-se perante Deus e receber pela fé o Seu perdão (ou mesmo admitir a necessidade do perdão), significa uma vida limitada, "religiosa" e aborrecida, como se o fato de seguirmos os nossos próprios caminhos nos trouxesse paz e liberdade. Colocar Jesus Cristo como o nosso Senhor é como endireitar um comboio que descarrilou. Só assim é que nos podemos sentir plenamente realizados enquanto seres humanos, criados por Deus.

"Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância." (João 10:10)

Arrependa-se do seu pecado e creia hoje em Jesus Cristo como seu Salvador!